Vereador explica inatividade do Centro de Referência da Cidadania Félix Cahino

Marmuthe Cavalcanti (PSD) afirmou que famílias se alojaram no Centro e destruíram tudo, impossibilitando a continuidade dos serviços prestados à comunidade

Por Damião Rodrigues

Fotos Olenildo Nascimento

14/05/2019

Da tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), na sessão ordinária desta terça-feira (14), o vereador Marmuthe Cavalcanti (PSD) esclareceu a situação do Centro de Referência da Cidadania (CRC) Félix Cahino, no bairro Valentina Figueiredo. De acordo com Marmuthe, o vereador Marcos Henriques (PT) postou em suas redes sociais um texto pedindo à Prefeitura da Capital a reabertura do Centro, o que tornou necessário que a questão fosse esclarecida.

“A reivindicação do vereador Marcos Henriques é muito pertinente, mas, preciso fazer um esclarecimento sobre esta questão. O CRC Félix Cahino colocava à disposição dos moradores do Valentina diversos cursos e ações de interação com a comunidade, até o momento em que famílias invadiram o espaço, compelidas por forças políticas contrárias à atual Gestão Municipal”, explicou Marmuthe.

De acordo com o parlamentar, a invasão foi tendenciosa e com a intenção de desestruturar a atuação política da Administração Municipal na localidade. “As famílias que se alojaram naquele espaço destruíram tudo e impossibilitaram a continuidade dos serviços prestados pelo Centro. A Prefeitura de João Pessoa dialogou com os moradores, e a Secretaria Municipal de Habitação Social entrou em ação, com a construção de unidades habitacionais para onde essas famílias foram realocadas”, informou o vereador.

Marmuthe ainda fez questão de enfatizar que, mesmo após as famílias terem sido realocadas, o prédio está muito deteriorado, o que impossibilita o retorno imediato das atividades no espaço. “Solicitei, através de requerimentos, assim como o vereador Marcos Henriques, a retomada das atividades do Centro. A Prefeitura informou que a reconstrução e reativação do local demanda tempo e diversas ações”, informou. Ele anunciou que o gestor da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Diego Tavares, já está empenhado na tarefa de reativação do espaço.

Em aparte, o vereador Marcos Henriques (PT) disse que o problema existe há muito tempo, privando a população da região de receber a atenção do poder público no tocante à cidadania. “Três anos é muito tempo para solucionar essa questão. Tenho a impressão de que é política de governo, pois existem três CRCs que estão do mesmo jeito”, alegou.

Marmuthe afirmou que o período de inatividade do Centro é menor, e garantiu que “o prefeito Luciano Cartaxo (PV) está envidando todos os esforços necessários para resolver esta situação”.

Notícias Relacionadas

Câmara de João Pessoa anuncia Comissão Parlamentar de Recesso
Colegiado é formado por sete vereadores e garante continuidade dos trabalhos durante o recesso legislativo
Vereador repudia exposição de criança em rede social de deputado estadual da Paraíba
Marcos Henriques (PT) leu carta de repúdio da Rede de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente à atitude de Wallber Virgulino (Patriota)
Vereadores prestam solidariedade aos desabrigados do bairro São José
Prefeitura disponibilizou equipes de saúde para atender famílias alojadas em escola pública municipal
CMJP realiza audiência pública para discutir sobre redução de verbas na Educação
Representantes da UFPB, IFPB, TCU e entidades de luta de classe participaram do debate
Vereador de oposição critica Gestão Municipal e líder da situação rebate
Os vereadores Leo Bezerra (PSB) e Milanez Neto (PTB) usaram a tribuna da Casa, na sessão ordinária desta quinta-feira (13), para debater sobre as ações da Prefeitura da Capital
Parlamentares pessoenses divergem sobre greve geral desta sexta-feira (14)
Marcos Henriques (PT) afirmou que a greve representa a luta contra a Reforma da Previdência e os cortes da Educação. Carlão criticou o que considera um “movimento ideológico esquerdista, orquestrado pelo PT e a CUT”